Já agora… Consumos energéticos

Com estas mudanças uma das coisas que me preocuparam foi o facto da caixa da Conceptronic não ser ventilada. Ou seja o disco não têm qualquer ventilação, e o facto de poder aquecer preocupa-me.

Outra das coisas que me procupa é o facto do adaptador de corrente da mesma anunciar que fornece 18 Watts, e não saber quanto consome este disco rigido.

Ora falamos de um Seagate, a 7200 rpm, IDE.

Segundo as medidas que fiz, o mesmo consome em pico de arranque um total de 32 Watt (pobre adaptador da caixa… o que vale é que é apenas durante dois/três segundos), e em funcionamento utiliza 14.6 Watt.

Relativamente à NSLU2, é anunciado que gasta 10 Watt, mas pelos testes que fiz fiquei-me pelos 7.6 Watt após arranque.

Possivelmente com mais processamento usa mais alguma coisa, mas não deve passar disto….

Dado que o disco é self powered as necessidades energéticas do mesmo não devem puxar pelo adaptador da NSLU2.

Ora no total: 7.6 + 14.6 = 22.2 Watt – Utilizo cerca de 25 Watt para esta pequena brincadeira. Bem menos do que ter um PC sempre ligado, mesmo assumindo que esse gastaria 70 Watt, o mais baixo consumo que testei em PC’s que tive.

Possivelmente gasto tanta energia com este pequena sistema, como gasto com o aquário dos peixinhos.

Remake: Hello World Part2 from NSLU2

Cá estamos nós de novo, recomeçando “from scratch”:

Nova estratégia: agora usamos um disco rigido.

Por aí especulava-se que uma das questões da fraca performance que eu descrevia antes, especialmente na ligação PHP <-> MySql era devido à swap estar numa flash.

Ora estou a usar o Unslug, que é nada mais nada menos que o  firmware da Linsksys com mais alguns “quitanços” em cima.

Devido ao facto de tantos Reads/Writes numa pen USB mais tarde ou mais cedo irem consumir a mesma, decidi colocar um HDD externo: reutilizei a minha caixa da Conceptronic com um disco IDE de 120 GB.

Em termos de performance notam-se algumas melhorias, mas agora precisa de algum tuning. O Apache continua a ser um peso pesado, demasiado pesado para estes 32 MB de SDRAM.

O lighttpd que testei esta manhã, usando com o php-fastcgi pareceu-me muito eficiente, quem sabe se agora com um disco não o será melhor.

Aproveitei e reinstalei a última versão do WordPress: 2.2.

Bem…. altura de ir dormir que amanhã é dia de trabalho e há muito para fazer na PT.

Fedora 7

O Fedora 7 está agendado para dia 31. Já tinha sacado o live CD da test4 para testar a arquitectura 64 bit do meu novo pc, mas infelizmente não funcionou.

Não percebi bem o porquê, mas verdade seja dita nem tentei muito, dava erro ao ler de determinado device (sdr1?). Como o tempo não era muito, acabei por colocar a efectuar download e instalar a versão test4, invés de usar o live cd.

fc7.png

Localizou de imediato 90 pacotes para actualizar.

Ainda no outro dia tinha instalado o Fedora Core 6, que curiosamente me pedia para instalar 600 megas de updates.

Dado que não tenho ethernet aqui dentro, a ligação é feita por wireless, e configurar aquela placa PCI, com chipset Ralink é bastante trabalhoso, optei mesmo por instalar o F7. Tinha alguma esperança que já suportasse o device wireless mas parece-me que não.

Apesar disso é uma das metas do projecto para esta release incluir o máximo possivel de hardware wireless suportado na distro: http://fedoraproject.org/wiki/Releases/FeatureWirelessFirmware

O Ubuntu que testei antes suportava, detectava a rede e tudo muito bem, apenas não tinha suporte WPA. De qualquer das formas não gostei, a minha relação com os Redhat e posteriormente Fedora já é longa e gosto muito deles.

As novidades parecem ser muitas, e começam logo pelo nome: o Core desapareceu.

Assistimos ao merge do Core com o Extras para dar lugar ao Fedora 7, simplesmente.

Depois há bastantes mudanças, desde o visual que salta logo há vista, até muito mais coisas que podem ser acompanhas no site do FedoraProject .

O fast user switching é uma das funcionalidades avançadas e tal como bonito Windows XP, ou Vista lá me aparece o user para escolher…

Toda a lista de features aqui.

Fedora 7

O Fedora 7 está agendado para dia 31. Já tinha sacado o live CD da test4 para testar a arquitectura 64 bit do meu novo pc, mas infelizmente não funcionou.

Não percebi bem o porquê, mas verdade seja dita nem tentei muito, dava erro ao ler de determinado device (sdr1?). Como o tempo não era muito, acabei por colocar a efectuar download e instalar a versão test4, invés de usar o live cd.

fc7.png

Localizou de imediato 90 pacotes para actualizar.

Ainda no outro dia tinha instalado o Fedora Core 6, que curiosamente me pedia para instalar 600 megas de updates.

Dado que não tenho ethernet aqui dentro, a ligação é feita por wireless, e configurar aquela placa PCI, com chipset Ralink é bastante trabalhoso, optei mesmo por instalar o F7. Tinha alguma esperança que já suportasse o device wireless mas parece-me que não.

Apesar disso é uma das metas do projecto para esta release incluir o máximo possivel de hardware wireless suportado na distro: http://fedoraproject.org/wiki/Releases/FeatureWirelessFirmware

O Ubuntu que testei antes suportava, detectava a rede e tudo muito bem, apenas não tinha suporte WPA. De qualquer das formas não gostei, a minha relação com os Redhat e posteriormente Fedora já é longa e gosto muito deles.

As novidades parecem ser muitas, e começam logo pelo nome: o Core desapareceu.

Assistimos ao merge do Core com o Extras para dar lugar ao Fedora 7, simplesmente.

Depois há bastantes mudanças, desde o visual que salta logo há vista, até muito mais coisas que podem ser acompanhas no site do FedoraProject .

O fast user switching é uma das funcionalidades avançadas e tal como bonito Windows XP, ou Vista lá me aparece o user para escolher…

Toda a lista de features aqui.