Moto-Férias: Estrada Fora II F125cc – Dia 5, Avis > Casa, o fim

E como tudo o que é bom chega ao fim, o mesmo aconteceu à nossa viagem.

Após cinco dias, seis se contarmos com dia 0, estava a acabar. Após a visita à Fundação abreu Callado, o grupo devido ás suas diferentes localizações partiu-se em dois: os que iam para Norte – Coimbra/Porto/Ovar/Leiria/Marinha e os que vinham para Lisboa.

Confesso que como me tinha demorado um pouco mais na Fundação a comprar os queijinhos quando cheguei ao ponto de encontro já se estava a ultimar a partida.

Após as despedidas finais lá fomos nós, de volta ao caminho.

Com a mota agora carregada com sacos de campismo, tendas e restante material voltei a sentir a dificuldade que tinha sentido no dia 0, devido à posição de condução, especialmente numa curva mais fechada. Retificada a posição de condução lá vamos nós!

Acabámos por parar em Mora para comer qualquer coisa, e em linha com o habitual, desta vez comemos uma sandocha num restaurante. A pergunta se queriamos uma bifana especial, que era uma bifana em pão alentejano foi a escolha consensual do grupo, e revelou ser uma boa aposta!

Fica a recomendação: Restaurante o Caçador em Mora, de Helder Ganhão.

A bifana era enorme, e deliciosa. Antes disso tinha vindo uma canjinha de galinha com uma coca cola, e a sopa apesar do calor soube maravilhosamente bem.

O resto do caminho correu sem percalços de maior. Parámos numa Cepsa para abastecer (a minha já estava a entrar na reserva, e marcava 1000Km de viagem), e outros camaradas fizeram o mesmo. Água fresca era o que se queria e lá veio mais uma garrafa.

Voltámos a parar numa Repsol algures a meio do caminho para a CBR atestar, dado que o Paulo estava com medo de ficar sem gasolina, e após alguma conversa voltámos á estrada.

O caminho percorreu-se bem, excepto uma estupidez qualquer de um idiota com um atrelado na ponte de Vila Franca, que segundo o Carlos poderia ter levado a bater nos elementos traseiros do grupo. Mas felizmente nada aconteceu.

Chegados a Lisboa parámos na Repsol da 2ª Circular para tirar algumas coisas da carrinha do Carlos, e passámos em Sete Rios para deixar a Sara que ia de Expresso para Leiria. Após isto, uma rápida despedida de todos e cada um lá foi á sua vida e para sua casa, cansados, mas muito satisfeitos.

Após as 18h começaram-se a trocar mensagens, que se ia chegando, e o último a chegar foi mesmo o camarada tony da Maia que acabou por chegar bem.

Em jeito de balanço a experiência foi fantástica: em primeiro lugar, o teste de resistência que me propus fazer foi alcançado, quer por mim, quer pela CBF. 1100 KM foram muitos kms!

Depois, a experiência foi fantástica: conhecemos muito e vimos muito pelo país, sendo que cada vez mais penso que a melhor forma de viajar para conhecer um país e terras é mesmo de moto – sentir e ver, cheirar, nada que se consiga fazer tão bem de carro.

O grupo ajudou imenso, e o espirito de união e ajuda cativou-me. Andar de mota e divertir-nos era e foi um bom plano!

Pelo meio só fico com pena de não podermos por vezes tirar algumas fotos nalguns locais, mas o calendário apertado não permitia tal, reconheço, e de pronto ter chegado ao fim.

Cometi alguns erros estratégicos, que imagino que devido á minha falta de experiência nestas coisas:

– Falta de protetor solar

– Falta de um creme Nivea

– Não levar uma Gilette para fazer a barba – férias não podem significar o desleixo de barba a que cheguei.

– Não levar óleo logo de inicio na viagem, salvaguardado assim qualquer questão.

– Não ter planeado melhor o primeiro pequeno almoço, e não ter levado logo no inicio da viagem alguns mantimentos básicos.

– Campismo significa levar papel higiénico para os WC…. algo que desconhecia, e aprendi e corrigi logo no primeiro parque.

Não obstante os erros, também aprendi que não preciso de comer tanto como comia, dado que com duas sandes ao almoço ficava satisfeito! Quanto ao resto só espero poder repetir em breve. Foram de facto umas férias diferentes e fantásticas.

Obrigado pelo companheirismo e experiência que me proporcionaram malta! 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *