Cartuchos finais de 2011

Estamos a chegar ao final de 2011, e para ser diferente de ao jeito do já habitual, desta vez não vou fazer um balanço tão exaustivo, embora este seja focado em mim – isto é um blog pessoal 🙂 – passou-se mais um ano, e como habitual coisas para fazer não faltaram. Começo a pensar que deveria focar-me numas mais, e em vez de estar em tantas, ter ainda mais sucesso em apenas algumas.

Foi um ano interessante, e bastante animado, nem sempre alegre:

Tivémos alguns problemas com uma das nossas gatinhas cá por casa, e acabámos por perder a Sascha, após um ano a lutar com o que pensamos que a vitimou: cancro no pulmão.

Acima de tudo o que marcou mais nesta recta final foram mesmo as passeatas de moto com a malta do f125cc, dado que comprei em Setembro uma moto.

Depois, em termos de animais recebemos a Pipoca, uma Yorkshire, que está quase com três meses, e as coisas por aqui nunca mais foram as mesmas 🙂 Alegre, brincalhona, interactiva, esta cadela não pára, parece que têm pilhas Duracell, especialmente agora que já a levamos á rua, e levamos habitualmente nas nossas saídas.

Consegui este ano desenvolver competências num conjunto maior de áreas, sendo que a nivel pessoal comecei a brincar com o Arduino. Participei pela primeira vez no Codebits, no qual apresentámos um projecto de domótica, que envolvia um Arduino.

Quanto á moto tudo começou em Setembro, quando após algumas contas, decidi comprar uma moto, com o objectivo de ganhar mobilidade com menores custos. Realizava assim uma coisa que queria desde adolescente, mas infelizmente os meus pais nunca me deixaram ter. Com carta de moto desde 1998, foi agora que comprei uma… embora as 125cc hoje em dia possam ser conduzidas com a carta de carro.

E assim começou uma nova aventura: ganhei em mobilidade, em tempo, mas apanho frio e chuva. Mas conheço muitos sitios, muitas coisas, muitas pessoas, e hoje em dia encaro os automóveis de uma forma diferente. De igual forma passei a dar mais atenção a todos os buracos na estrada, zebras, riscas, passadeiras e etc. para não ir ao chão.

Temos viajado por sitios fantásticos, e conhecido pessoas fantásticas: Santarém, Almeirim, Peniche, Leiria, Óbidos, Cabo Espichel, Coimbra, Cabo da Roca, Cascais, Marginal, Guincho, Sintra – foram alguns dos sitios por onde andei este ano.

E assim têm sido… Assim para 2012, e numa altura em que o país atravessa uma fase tão complicada, espero sinceramente que tudo corra bem. Venha saúde, alegria, sucesso, diversão, e já agora dinheiro!

E para terminar, umas fotos que finalmente reuni hoje de um passeio ao cabo da Roca de 18 de Dezembro: Aquário Vasco da Gama -> Cascais -> Roca -> Azenhas do Mar -> Sinta.

Boas entradas e um excelente 2012!

Mais uns componentes para o Arduino

Pronto. Mais umas aquisições para o Arduino que vêm directamente da inmotion.pt :

 

new_arduino_comps

Espero assim poder continuar o projecto iniciado no Codebits,  substituindo o interface C# que criei por falta de shield ethernet para comunicar com o Arduino.

A ideia é o arduino ser um “middleware” completamente autonómo. O interface X10 já está a ser equacionado…. mas por enquanto faltam os módulos, um controlador/comando e só depois o interface para o Arduino.

Arduino, Luz & Temperaturas

O tempo não têm abonado muito. Entre trabalho, casa e aulas não têm dado para muito, mas este fim de semana consegui finalmente rumar até ao meu bunker e entreter-me um pouco com o arduino.

Defini um projecto menos ambicioso para já (o robot vai ficar para depois, porque o investimento ainda é muito para já). Tenho andado a explorar a plataforma brincando um pouco com a aquisição de dados.

Para já queria fazer uma sonda que me medisse temperatura, luz e eventualmente os publique no pachube, ou via Twitter quem sabe, para fazer companhia aos meus dados já publicados de gastos energéticos/temperatura da casa.

Se relativamente à luz foi simples de fazer, duas LDRs serviram perfeitamente para a coisa, vi pelo blog do Daniel Andrade que tal podia ser simplesmente feito com um LM35. Parece que contudo este sensor de temperatura de precisão não é assim tão comum.

LM35

Tentei arranjá-lo na Arabot em Santarém, num dia de visita aos meus pais, e lembrei-me de ir à minha antiga loja de electrónica de há 15 anos! Não havia, mas vieram as LDRs.

O meu colega Ricardo Machado foi a uma loja de electrónica em Lisboa, e pedi-lhe para me trazer “uma” coisa daquelas. Na realidade deram-lhe um LM335 e disseram que era o mesmo. Mas não, não é!

O LM335 é um sensor de precisão, mas em Kelvin e não em Celsius, contrariamente ao LM35. A pinagem do encapsulamento também é diferente. A passagem de Kelvin para Celsius é a parte mais fácil da coisa 😉

Consegui este fim de semana já por aqui ler alguma coisa, mas julgo que o tenha de calibrar de alguma forma.

Os valores que obtive após testes foram algo estranhos. Mas mesmo no inicio da investigação de como fazer tal, o monitor avariou, e acabou por entregar a alma ao criador. E em vez de brincar mais com o LM335, acabei a desmontar o velho LCD de 17″ com oito anos em procura do fusivel. Mas parece que entregou mesmo a alma ao criador e se foi.

Assim as próximas experiências no “bunker” ficam condicionadas por arranjar um outro monitor. Já está em curso, e se tudo correr bem, este fim de semana poderei retomar.

 

Some more reads:

LM35 @ profmason.com

LM335 @ mit.edu

Sensor de temperatura c/ Arduino