Face in Space, ou eu fora do planeta Terra

Hoje, após algumas consultas decidi finalmente ir fazer o redeem do meu certificado de participação no projecto Face in Space da Nasa. Consistia em transportar o nosso nome e foto numa missão de um vaivem espacial da NASA.

Parece que estava previsto para 16 de Setembro de 2010, mas apenas aconteceu em Fevereiro/Março deste 2011.

Hoje fui ver como estava isto, e efectivamente a missão ST-133 já tinha ocorrido, pelo que tinha o certificado pronto a ser “impresso”. E cá está ele!

Face in Space

STS-133STS-133

The 133rd space shuttle flight launched on February 24, 2011. On this 35th shuttle mission to the International Space Station, Discovery will deliver the Express Logistics Carrier 4 and critical spare components to the Station. The pressurized logistics module will be a permanent fixture at the Station for supply storage.

Thanks to 194,181 participants who sent your names and images with us on STS-133. View crew thank you message here.

Your flight certificate is now ready for printing. Click here to print.

Mission Links

STS-133 Web site
Mission Photo Gallery
NASA TV
Spacecraft Sighting Opportunities

Emprego fixo e estável

Não, não venho aqui publicar anúncios de emprego.

Até seria bom mas não é mesmo.

Estava eu a ver o email no Gmail e vi este “anúncio”.

Achei tanta piada á maneira como passam a mensagem que fui ver, sabendo óbviamente que era publicidade a um curso.

Ao ponto a que isto já chegou…. preparação para entrada na GNR ? Achei o argumentário muito “*surreal*”.

Imagino que faça sucesso, dado que se me levou a mim a espreitar imagino quantos não vão lá.


Trapalhadas

Ontem saiu um excelente artigo disponível no Jornal de Negócios Online intitulado “Um governo a IRS…” . O link está aí atrás e gostaria apenas de destacar duas ou três frases que ficam.

Num dia não muito distante, um presidente demitiu um primeiro-ministro em Portugal. Razão: “trapalhadas”. O estroina Santana Lopes saiu e levou com ele a palavra. Ei-la de volta, acompanhando um apressado aumento da taxa de IRS. E não…

….

Entregámo-nos à intervenção externa de quem também está sem norte. Os mercados “estão descontrolados”, como diz o ministro alemão das Finanças. A UE está desaustinada. Quando Durão Barroso um dia disse que a Europa era um Boeing sem ninguém no cockpit, mal sabia que anos depois o Boeing continuaria sem piloto mesmo com ele a bordo.

Portugal é também um avião sem piloto, mas mais pequeno: é um Cessna, daqueles que fazem publicidade nas praias. Na faixa diz: “Sempre em festa”. Dirige-se para o aeroporto na expectativa de que lá esteja o FMI (e você, senhor contribuinte, já não sabe bem se receia encontrá-lo ou se secretamente o deseja).

Ora as acima, são para mim a mais das puras verdades. Veja-se o que se pode hoje ler acerca destas trapalhadas via Público por exemplo.

“As leis valem a partir do momento em que são publicadas, a partir do dia em que dizem que entram em vigor. Se há uma lei [publicada quinta-feira] que diz que entra em vigor amanhã, então é amanhã [hoje]”, disse em Lisboa Vital Moreira, também eurodeputado eleito pelo PS.

O primeiro ministro, José Sócrates, frisou hoje que a actualização das tabelas de retenção na fonte em sede de IRS produzirá efeitos nos salários de Junho e não já em Maio.

Interrogado sobre o momento em que produzirá efeitos a atualização das tabelas de retenção na fonte em sede de IRS, o primeiro-ministro sublinhou que seria a partir dos ordenados de “Junho, como disse [quinta-feira] o ministro das Finanças [Teixeira dos Santos]”.

“Produz efeitos nos ordenados de Junho. É esta a posição do Governo. Espero que não haja a mínima dúvida”, vincou José Sócrates.

Vital Moreira recusou comentar estas declarações, alegando desconhecê-las.

“Não conheço as declarações do primeiro ministro e não vou comentar”, disse.

Chegámos á desorientação total…. Foi esta a semana após anúncios do governo, e anúncios pela comunicação social, que causaram o caos na interpretação e busca da ultima versão a milhares de Portugueses – pelo menos aqueles que ainda se preocupam alguma coisa com a actualidade e não se resignam a aceitar e simplesmente saber das coisas quando elas já estão aplicadas.

Ontem, após a saída das novas tabelas de IRS, em que até pelos comentários da blogosfera se percebe que os Portugueses nem contas sabem fazer, o governo diz, contradiz e volta a dizer. “Bora lá pagar mais impostos”, e entretanto continua-se com TGV’s (mesmo após os espanhóis o terem suspendido), e cancela-se o concurso da terceira ponte para a seguir fazer um outro.

Da ponte só mais não falo, porque moro na Margem Sul e de facto a ponte faz falta a todos destas zonas, mas por favor…. suspendam os investimentos.

Acabem com as empresas de consultores no estado, e de uma vez por todas ponham os que não fazem nada a trabalhar. Temos pessoas tão qualificadas por aí, e se não chegarem ponham os que estão no desemprego a trabalhar, já que recebem um subsidio. Mas claro para isto tudo é preciso coragem politica, deste ou de qualquer outro governo, e ninguém se entende nestas matérias, como é o hábito. É graças a esta anarquia que isto vai assim e ficará cada vez pior.

E pronto… é fim de semana, devemos aproveitar para não nos aborrecermos e relarxarmos.

Dia 29 acho que existe uma manifestação…. vamos ver quantos lá aparecem. Certamente se criarmos um grupo no facebook para essa causa terá mais apoiantes.

Obras: Ponte 25 de Abril com obras previstas

Espero que não cause o pandemónio ocorrido no passado, mas pronto lá se irá sobreviver.

A Estradas de Portugal (EP) aprovou na semana passada o projecto da intervenção que irá ser objecto de um concurso público internacional a lançar nas próximas semanas. Se tudo correr como o calendarizado, as obras poderão arrancar já neste Verão. Apesar de ser o período de maior congestionamento rodoviário na ponte 25 de Abril, em Agosto – o mês sem portagens – o movimento ultrapassa os 165 mil carros/dia, Eduardo Gomes, vice-presidente da EP, não antecipa condicionamentos o tráfego rodoviário. O eventual impacto resultará da necessidade de movimentar equipamentos e homens, e da distracção dos condutores com os operários a trabalhar na ponte. Não se esperam pois os mega-engarrafamentos que no Verão de 2002 entupiram os acessos Sul por causa da substituição das juntas de dilatação.

Já no que diz respeito à circulação ferroviária, a EP admite mais constrangimentos. As intervenções têm de ser feitas fora das horas de circulação dos comboios suburbanos, à noite, e esta é uma matéria de mais difícil compatibilização, admite Eduardo Gomes, na medida em que os trabalhos exigem que se desligue a corrente eléctrica que faz circular os comboios, por razões de segurança. A EP tem vindo a trabalhar com as operadoras rodoviária e ferroviária da ponte (Lusoponte e Fertagus) para minimizar eventuais impactos na circulação.

Notícia Completa no iOnline