Trapalhadas

Ontem saiu um excelente artigo disponível no Jornal de Negócios Online intitulado “Um governo a IRS…” . O link está aí atrás e gostaria apenas de destacar duas ou três frases que ficam.

Num dia não muito distante, um presidente demitiu um primeiro-ministro em Portugal. Razão: “trapalhadas”. O estroina Santana Lopes saiu e levou com ele a palavra. Ei-la de volta, acompanhando um apressado aumento da taxa de IRS. E não…

….

Entregámo-nos à intervenção externa de quem também está sem norte. Os mercados “estão descontrolados”, como diz o ministro alemão das Finanças. A UE está desaustinada. Quando Durão Barroso um dia disse que a Europa era um Boeing sem ninguém no cockpit, mal sabia que anos depois o Boeing continuaria sem piloto mesmo com ele a bordo.

Portugal é também um avião sem piloto, mas mais pequeno: é um Cessna, daqueles que fazem publicidade nas praias. Na faixa diz: “Sempre em festa”. Dirige-se para o aeroporto na expectativa de que lá esteja o FMI (e você, senhor contribuinte, já não sabe bem se receia encontrá-lo ou se secretamente o deseja).

Ora as acima, são para mim a mais das puras verdades. Veja-se o que se pode hoje ler acerca destas trapalhadas via Público por exemplo.

“As leis valem a partir do momento em que são publicadas, a partir do dia em que dizem que entram em vigor. Se há uma lei [publicada quinta-feira] que diz que entra em vigor amanhã, então é amanhã [hoje]”, disse em Lisboa Vital Moreira, também eurodeputado eleito pelo PS.

O primeiro ministro, José Sócrates, frisou hoje que a actualização das tabelas de retenção na fonte em sede de IRS produzirá efeitos nos salários de Junho e não já em Maio.

Interrogado sobre o momento em que produzirá efeitos a atualização das tabelas de retenção na fonte em sede de IRS, o primeiro-ministro sublinhou que seria a partir dos ordenados de “Junho, como disse [quinta-feira] o ministro das Finanças [Teixeira dos Santos]”.

“Produz efeitos nos ordenados de Junho. É esta a posição do Governo. Espero que não haja a mínima dúvida”, vincou José Sócrates.

Vital Moreira recusou comentar estas declarações, alegando desconhecê-las.

“Não conheço as declarações do primeiro ministro e não vou comentar”, disse.

Chegámos á desorientação total…. Foi esta a semana após anúncios do governo, e anúncios pela comunicação social, que causaram o caos na interpretação e busca da ultima versão a milhares de Portugueses – pelo menos aqueles que ainda se preocupam alguma coisa com a actualidade e não se resignam a aceitar e simplesmente saber das coisas quando elas já estão aplicadas.

Ontem, após a saída das novas tabelas de IRS, em que até pelos comentários da blogosfera se percebe que os Portugueses nem contas sabem fazer, o governo diz, contradiz e volta a dizer. “Bora lá pagar mais impostos”, e entretanto continua-se com TGV’s (mesmo após os espanhóis o terem suspendido), e cancela-se o concurso da terceira ponte para a seguir fazer um outro.

Da ponte só mais não falo, porque moro na Margem Sul e de facto a ponte faz falta a todos destas zonas, mas por favor…. suspendam os investimentos.

Acabem com as empresas de consultores no estado, e de uma vez por todas ponham os que não fazem nada a trabalhar. Temos pessoas tão qualificadas por aí, e se não chegarem ponham os que estão no desemprego a trabalhar, já que recebem um subsidio. Mas claro para isto tudo é preciso coragem politica, deste ou de qualquer outro governo, e ninguém se entende nestas matérias, como é o hábito. É graças a esta anarquia que isto vai assim e ficará cada vez pior.

E pronto… é fim de semana, devemos aproveitar para não nos aborrecermos e relarxarmos.

Dia 29 acho que existe uma manifestação…. vamos ver quantos lá aparecem. Certamente se criarmos um grupo no facebook para essa causa terá mais apoiantes.

As finanças, o IRS e o Twitter

Ora há coisas engraçadas !  Isto quase poderia ser uma bela fábula (o tópico do post), mas a DGCI, ou Finanças, mais conhecida pelo imposto do IRS para a maioria dos mortais têm um canal no Twitter, e pelo mesmo pode-se saber que foi assim que adiou a entrega da 2º fase do IRS.

Foi alargado o prazo para entrega da Declaração Modelo 3 (Anexos A, H e J) até dia 18/04. Mais informações em: http://bit.ly/cwFJTb

O prazo de entrega da 2ª fase, da declaração Modelo 3 de IRS, decorrerá de 19/04 a 28/05. Mais informações em: http://bit.ly/cwFJTb

É isto que se pode ler no canal da DGCI no Twitter.

O comunicado esclarece de igual forma que “Este adiamento, do dia 16 para o dia 19 Abril, em nada prejudicará os contribuintes abrangidos por esta segunda fase, uma vez que a administração fiscal assegurará, para os que entregarem as suas declarações no dia 19, que o reembolso, quando devido e desde, também, que verificados os requisitos estabelecidos para o efeito, será emitido no prazo de 20 dias contados a partir do dia 16 de Abril”.

Ora e quem diz que os serviços públicos são maus? Cinco pontos para eles e para a utilização dos novos meios de comunicação. Poderiam era ter enviado um email também !

Obras: Ponte 25 de Abril com obras previstas

Espero que não cause o pandemónio ocorrido no passado, mas pronto lá se irá sobreviver.

A Estradas de Portugal (EP) aprovou na semana passada o projecto da intervenção que irá ser objecto de um concurso público internacional a lançar nas próximas semanas. Se tudo correr como o calendarizado, as obras poderão arrancar já neste Verão. Apesar de ser o período de maior congestionamento rodoviário na ponte 25 de Abril, em Agosto – o mês sem portagens – o movimento ultrapassa os 165 mil carros/dia, Eduardo Gomes, vice-presidente da EP, não antecipa condicionamentos o tráfego rodoviário. O eventual impacto resultará da necessidade de movimentar equipamentos e homens, e da distracção dos condutores com os operários a trabalhar na ponte. Não se esperam pois os mega-engarrafamentos que no Verão de 2002 entupiram os acessos Sul por causa da substituição das juntas de dilatação.

Já no que diz respeito à circulação ferroviária, a EP admite mais constrangimentos. As intervenções têm de ser feitas fora das horas de circulação dos comboios suburbanos, à noite, e esta é uma matéria de mais difícil compatibilização, admite Eduardo Gomes, na medida em que os trabalhos exigem que se desligue a corrente eléctrica que faz circular os comboios, por razões de segurança. A EP tem vindo a trabalhar com as operadoras rodoviária e ferroviária da ponte (Lusoponte e Fertagus) para minimizar eventuais impactos na circulação.

Notícia Completa no iOnline

Politiquices : Demissão iminente de José Sócrates

Hoje, o tema por aqui é política. Nos últimos dias o país voltou a estar enfiado em mais uma novela de “calhandrice” como lhe chamaram por aí em jornais.
A história “Mário Crespo” que nem sei se foi bem ou mal contada é assustadora.

O artigo que levou a tal foi este aqui, mas já foi tanto falado que não deve ser novidade para ninguém. Depois ainda através de um colega ainda encontrei este aqui de 14/12 e que não abona nada nem ninguém. Enfim….

Hoje abro a televisão, e na 1ª Página na Sic Notícias, além de todas as polémicas, leio na capa do I que a demissão de José Sócrates está iminente e será um dos temas dominantes do Conselho de Estado de hoje convocado por Cavacoo Silva (o outro será a Lei das finanças regionais, aka, polémica da Madeira) ??!?!

Não sou da ideologia política do PS, contudo parece-me prematuro este tipo de coisas, e a evitar.

O governo foi agora eleito. Precisamos de estabilidade. Precisamos que o Governo atinja metas e concretize alguns objectivos traçados.

A última coisa que precisamos neste país agora é o caos e a barafunda com eventuais eleições….. e muito menos impostos mais altos… como alguns “idiotas”* defendem.

Eles que abdiquem de parte dos seus salários milionários e parem de tentar que seja o povo que pouco ganha a suportar tudo. Imbecis…. ganham prémios, e mais prémios, e mais sabe-se lá o quê oriundo de dezenas de empresas, e têm de ser sempre os de cá de baixo a pagar as favas.

Em jeito de remate, despropositado, é como classifico mais uma das incursões dos clientes do BPP junto do ministro das Finanças Teixeira dos Santos durante uma conferência do Jornal de Negócios.

Ele que já se ameaçou demitir também, diz e muito bem: “nem mais um tostão no BPP”. Chega de sermos nós a pagar as crises dos outros…. chega. Perderam o dinheiro vivam com isso. Foram enganados vão para tribunal…

*”idiotas” = pessoas com ideias.