Recordar é viver: Gildot

Não me vou alongar muito acerca do Gildot ou o que era, mas hoje enquanto pesquisava algo sobre o Windows 2016 encontrei uma thread perdida do Gildot em que alguém (o Humpback salvo erro) indicava que ainda estava à espera do Windows Server 2040. Treze anos depois já não falta assim tanto, falava-se de Windows 2003 na altura.

Mas o saudosismo levou-me a encontrar esta pérola relativamente a compras no estrangeiro. Nunca pensei estar tão enganado, e aparentemente não fui o único a ter uma opinião muito diferente na altura.

Capture

Como o tempo passa, e pelo Gildot passou, e nós passámos. Saudades de tempos que não voltarão, e não passam hoje de marcas em nós e na história.

 

HP Pavilion 27cw 27-inch IPS LED Backlit Monitor

Recentemente troquei o monitor cá de casa.
O facto de usar muito o PC no dia a dia, e estar com um monitor de 22″ a 1680*1050 desde 2008 já era um motivo. A compra do surface antes, e o switch entre os 1650 e os 2000 e qq coisa do ecrã do surface ajudaram.

Como gosto de ver para comprar, confesso que andei uns fins de semana nos jumbos e fnacs e não vi nada de jeito tendo desistido.

Um dia fui às compras de manhã e passei na box e encontrei este HP 27CW por 299€.

c04551904

http://www8.hp.com/my/en/products/monitors/product-detail.html?oid=7263969

Na altura reviews não encontrei em lado nenhum, só para o seu “primo” 27xi, que é de outro mercado.

Lembro-me de ter lido pela Zwame que a HP não gosta de submeter os seus monitores a reviews, e a verdade é que alguns meses depois não há nada credível.

Alguns comentários apenas tipo Amazon e bestbuy.

Mas o monitor é fantástico de facto. Na altura aconselharam-me um Dell de 4k por sensivelmente o mesmo preço, mas este de 27″ a 1920 faz uma boa qualidade de imagem, com objetos a um tamanho razoável minimizando o esforço visual de bastante tempo de utilização.
Recomendo. Único contra: não tem som. E por HDMI tem que se desativar o som no PC de forma a não ser transmitido ao monitor.

TP-Link PA211 e a avaria dos condensadores

Comprei em 2010 uns TP-Link PA211, que para quem não sabe são uns fantásticos PLC que me têm dado um jeitão para passar rede entre duas divisões não contíguas aqui de casa.

Não obstante de serem um espetáculo, e terem sido comprados bem baratos numa promoção da Pixmania, sofrem de um problema que aparentemente pelo mundo inteiro os afeta.

A primeira vez que ouvi falar disto foi de um colega o Carlos, em que os dois morreram. Ora o Carlos dedicou-se a pesquisar um pouco na net acerca disto, e chegou á conclusão que havia muita gente a queixar-se de um problema de um condensador. No caso dele, ambos morreram na mesma altura.

Na semana seguinte, quase por magia, o meu tio queixou-se do mesmo. Lá acabei por lhe dispensar um terceiro que provinha de um kit que comprei a meias com o Carlos para “spare”.

Ora agora foi a minha vez. O dito aparelho estava morto: não tinha luzes, não fazia nada. Acabada a garantia, como já sabia desta questão levantei o autocolante procurei o parafuso que junta a tampa á caixa e abri as entranhas do bicho para procurar o problema.

Pode-se rápidamente ver que o problema é um condensador electrolitico que ali está rebentado: 1500microFarad de 6.3V.

Pelo que pesquisei na net, ninguém ainda percebeu se é um problema de design do circuito e a voltagem do condensador é insuficiente, ou é mesmo um problema de qualidade do condensador.

Fui ali á RadiPeças e comprei dois de 1500microFarad de 16V, precisamente já para prevenir algum mau dimensionamento. Os dois, bem, porque qualquer dia vai acontecer o mesmo ao par deste, e por oitenta cêntimos fica já o problema semi resolvido.

É só abrir, levantar o PCB pelo lado da ficha ethermet, forçando a caixa a separar-se desta, sendo que o botão de reset dificulta a operação – no meu caso cortei a parte visivel do push button, e ainda com o ferro de soldar queimei um pouco do plástico. Ainda empurrei aquilo mais um pouco para dentro, mas depois de algumas investidas a coisa lá se abriu. A imagem abaixo mostra uma outra tentativa que encontrei noutro site em que parece que arrancaram o botão. Será sempre uma coisa parecida que será necessário fazer para abrir e levantar o PCB de forma a dessoldar o condensador e voltar a soldar o novo.

Note-se que os 220V da ficha ligam diretamente ao PCB por aquelas tiras metálicas que lá estão soldadas diretamente, pelo que deverão ter alguma paciência e cuidado a levantar a placa PCB (soldadas nos quadrados amarelos da segunda figura do post).

E pronto após trocar o condensador ficou a funcionar. Cá está ele, a comunicar com o seu par a ums possiveis 30 metros, e com uma velocidade de 123Mbps – apesar de apenas ter uma tomada ethernet com velocidade de 100Mbps.

Já lá vão uns 15 minutos, escrevi o post, o windows fez updates e está tudo a funcionar!

Security & more security

Duas coisas que reparei ontem curiosas, e para vermos para onde as coisas evoluem em termos de segurança, e se por um lado coisas insuspeitas podem ter verdadeiras “bombas” lá dentro, outras continuam a ser o alvo favorito dos hackers.

– DDOS num software de Dowload management, o Orbit: Se tudo aquilo que acreditamos ser seguro e insuspeito de repente o pode deixar de ser, que dizer mais?

Uma noticia chocante que conta a história de um programa muito popular que aparentemente é usado para fazer DDoS em larga escala – o Orbit Downloader by Innoshock – noticia aqui

– Java e os ataques: what else is new?

Quem têm Java 6 ainda, é fortemente aconselhado a mudar para um Java recentente – 7!

Mais umas vulnerabilidades descobertas, e por isso é melhor fazerem o upgrade. O Java geralmente é daquelas coisas que os utilizadores quando verificam o popup dos updates no Windows desligam por ser irritante todas as vezes que ligam o pc verem aquilo. Mas talvez seja aquilo que salva uns milhares.

Nem vou falar de quem têm Java inferior a isso… porque, pronto, it was not supposed to be that way.

Codebits VI – 15 a 17 Novembro 2012

Começa amanhã a sexta edição deste evento que ano após ano concentra num único local uma grande parte dos adeptos tecnológicos do nosso país e muitos outros que adoram os temas technology related.

O ano passado foram 800 pessoas em modo non stop, três dias!

Foi a primeira vez que participei no evento, e adorei é apenas o que posso dizer.

Tinha planeado participar de forma a assistir ás interessantíssimas talks propostas, mas dei por mim embrenhado num projeto que começou com uma pequena brincadeira com um Arduino. E foi aí que nasceu o Home Automation

Não ganhámos nenhum prémio, aliás, a nossa apresentação em 90 segundos até foi fraquinha…. porque estávamos demasiado cansados, tivemos pouco tempo para preparar a apresentação, e sinceramente, o tema não causa o efeito WOW na plateia que vota. Mas foi com agrado que o nosso projeto foi seleccionado para participar no Sapo Codebits Labs este ano. A ideia era acelerar projetos e transformá-los em soluções comerciais.

Posso dizer que nem tudo correu como queria, sendo a falta de tempo uma grande condicionante, mas foram uns meses interessantes. Aprendemos muitas coisas ao longo deste ano, e acábamos por fazer um sistema de Domótica.

Não sei qual será o futuro deste sistema, talvez nos próximos tempos saibamos o rumo da coisa, mas por agora é efetivamente o sistema que equipa a minha casa, que acabou por servir de piloto de desenvolvimento.

Para este tracei como meta assistir mais ás talks. A direta o ano passado pesou-me no corpinho já nada habituado a estas coisas, e isso levou-me a este objetivo.

No entanto coisa puxa coisa, como adepto de tecnologia que sou, já tenho algumas ideias em mente. Vejamos se sai dali alguma coisa. Tal como o ano passado, a ideia é explorar um pouco e brincar. Se sair algo que possa ser interessante e apresentado como mini projeto perfeito!

E não…. não vai ser nada com o Raspberry Pi, que parece ir dominar o evento este ano. Porque isso para mim já não têm o fator WOW, porque em raspberry PI já mexo desde Junho, e posso adiantar que está bem estável, não estivesse ele ligado 24/7 e fosse o cérebro do sistema de domótica.

E pronto… amanhã lá começa! Amanhã temos ainda programado o jantar do Aberto até de Madrugada, com direito a dormida por casa ainda.

De Sexta para Sábado veremos o que acontece no Pavilhão Atlântico… o ano passado foi direta, por isso o melhor é dizer “nunca digas nunca”. Certo é que está garantido que vai ser um evento espetacular!