Curiosidades: Tudo sobre a Azeitona !!

Procurando uma imagem, cheguei ao site da Olivoeiras Produtos Alimentares que nem sei se ainda existe, dado o site ser tão antigo (Última actualização 04-09-1998):  é uma daquelas páginas da Tripod que ficam no ar para o resto da vida.

Básicamente, o site é ..  mau, era dos simples da altura (1998) e pode-se classificar como “Abandonware” quase.

Mas o curioso de lá é mesmo a história da Azeitona. Enfim cá fica o momento dos Tesourinhos da Cultura, a categoria em que vou passar a publicar estes textos:


Azeitona Preta Galega – a azeitona galega é uma variedade exclusivamente portuguesa. Distingue-se facilmente dos outros tipos devido ao seu pequeno calibre, formato bicudo e sabor característico.

O seu processo de cura é totalmente natural; após a colheita é colocada em água à qual se vai adicionando sal até se atingir o teor indespensável à sua conservação. Devido à sua acidez natural dispensa, em circunstâncias normais, a adição de reguladores de acidez ou de conservantes. Efectivamente, esta característica faz com que a salmoura (designação do líquido de conservação) atinja naturalmente um PH de cerca de 3,5 a 4, ideal para a conservação da azeitona em boas condições microbiológicas, de sabor e consistência. O seu processo de cura totalmente natural leva a que se mantenham as variações originais na sua coloração, que podem ir do castanho até ao preto passando pelo sépia.

O facto de ser, em esmagadora maioria, originária de olivais tradicionais (normalmente não tratados com produtos químicos), tem consequências positivas – estar isenta de resíduos destes produtos. No entanto, em anos agrícolas desfavoráveis do ponto de vista climático é vulnerável ao ataque de insectos (azeitona bichada).

Pode-se, assim, afirmar que a azeitona preta galega é perfeitamente adequada aos mercados mais exigentes, onde os produtos naturais são cada vez mais procurados.

Factos gerais sobre a azeitona

“Olea Europaea Sativa Hoffg, Link”, vulgamente conhecida por Azeitona, fruto da oliveira, é uma drupa de formas diversas com peso variável entre 1.5 g e 15 g.

A oliveira é uma árvore ancestral, originária dos solos pedregosos da Ásia Menor. O seu cultivo racional remonta ao período helénico, provavelmente na ilha de Creta (3.500 a.c.), tendo sido introduzido na Península Ibérica durante o domínio árabe.

Em Portugal predomina no interior do País, com distribuição irregular, estando o tamanho e variedade dos seus frutos dependente da influência de solos e microclimas existentes. O período de colheita decorre de meados de Setembro a Dezembro.

A azeitona de mesa é um alimento de sabor agradável e característico. Consumida como aperitivo ou como acompanhamento de pratos cozinhados, representa uma fonte nutricional, calórica, proteica e vitamínica.

A análise qualitativa e quantitativa, para cada 100 g de azeitona é a seguinte:

Água    ……………………..     66g

Composição Orgânica:

Proteídos    ………………..      1g

Lípidos    …………………..     20g

Glucosídeos    …………….     10g

Elementos Minerais:

Enxofre    ……………………     27mg

Cloro    ……………………….      4mg

Sódio    ……………………….   128mg

Magnésio    …………………..      2mg

Cálcio     ……………………….  122mg

Ferro     …………………………      2.9mg

Cobre    ………………………..       0.28mg

Manganésio    ………………..      2mg

Iodo     …………………………..     0.011mg

Relação Cálcio/Fósforo ….      8.21

Calorias    …………………….    220 Cal/100

Vitamina A    ……………….    1.000 un. intern. (U.I.)


Leave a Comment

Your email address will not be published.