Politiquices : Demissão iminente de José Sócrates

Hoje, o tema por aqui é política. Nos últimos dias o país voltou a estar enfiado em mais uma novela de “calhandrice” como lhe chamaram por aí em jornais.
A história “Mário Crespo” que nem sei se foi bem ou mal contada é assustadora.

O artigo que levou a tal foi este aqui, mas já foi tanto falado que não deve ser novidade para ninguém. Depois ainda através de um colega ainda encontrei este aqui de 14/12 e que não abona nada nem ninguém. Enfim….

Hoje abro a televisão, e na 1ª Página na Sic Notícias, além de todas as polémicas, leio na capa do I que a demissão de José Sócrates está iminente e será um dos temas dominantes do Conselho de Estado de hoje convocado por Cavacoo Silva (o outro será a Lei das finanças regionais, aka, polémica da Madeira) ??!?!

Não sou da ideologia política do PS, contudo parece-me prematuro este tipo de coisas, e a evitar.

O governo foi agora eleito. Precisamos de estabilidade. Precisamos que o Governo atinja metas e concretize alguns objectivos traçados.

A última coisa que precisamos neste país agora é o caos e a barafunda com eventuais eleições….. e muito menos impostos mais altos… como alguns “idiotas”* defendem.

Eles que abdiquem de parte dos seus salários milionários e parem de tentar que seja o povo que pouco ganha a suportar tudo. Imbecis…. ganham prémios, e mais prémios, e mais sabe-se lá o quê oriundo de dezenas de empresas, e têm de ser sempre os de cá de baixo a pagar as favas.

Em jeito de remate, despropositado, é como classifico mais uma das incursões dos clientes do BPP junto do ministro das Finanças Teixeira dos Santos durante uma conferência do Jornal de Negócios.

Ele que já se ameaçou demitir também, diz e muito bem: “nem mais um tostão no BPP”. Chega de sermos nós a pagar as crises dos outros…. chega. Perderam o dinheiro vivam com isso. Foram enganados vão para tribunal…

*”idiotas” = pessoas com ideias.

7 thoughts on “Politiquices : Demissão iminente de José Sócrates

  1. Edgar, por uma razão de justiça, os clientes do BPP não são menos que os clientes do BPN, se o estado injecta-se no BPP o que injectou no BPN eles estariam a protestar. Mas no BPN havia muita conta do estado orgão e estado “aparelho político”….

  2. Marco,

    os pequenos clientes pelo que sei recebem o dinheiro… pelo menos até 20/25 000 euros que julgo que seja o que está assegurado.

    Relativamente aos outros, acredito que tenham contado um conto ás pessoas, mas também deveriam ler aquilo que assinam. Se mesmo assim têm razão, deveriam ir para tribunal, e exigir na justiça o que lhes devem.

    E realmente tens razão… têm direito ao mesmo que os outros. O problema já vêm de trás, nunca o BPN deveria ter sido nacionalizado. Andamos todos a pagar buracos financeiros que outros andaram a fazer.

    Isto é sempre um “pau de dois bicos”, mas também ninguém deveria ser ingénuo ao ponto de acreditar em rentabilidades enormes, sem risco. Então porque raio os outros não oferecem o mesmo também ?

    Mas pronto… isto é a minha opinião claro. Obviamente que as pessoas têm de ter dinheiro para comer, e não como já vi alguns desgraçados na TV a queixarem-se que não têm dinheiro. O Banco deveria libertar uma parte do capital, que ainda têm, e o estado pagar também aquilo que está assegurado. Agora o estado pagar tudo a todos ? Não concordo, é errado, e também foi ainda mais errado no BPN.

  3. @Edgar Durão
    Edgar, eu penso como tu, so que lá esta por uma questão de justiça….

    A ser verdade o que dizem algum clientes do BPP, que o dinheiro que o estado injectou no BPP foi para pagar a bancos, municípios, e alguns grandes investidores (empresas) é mesmo caso de tribunal, mas meter no mesmo banco o estado e o BdP porque estes permitiram que tal acontecesse.

  4. A questão aqui e a meu ver é não concordar por não termos dinheiro para estas coisas.

    “A evolução da dívida externa portuguesa indica que em 2010 o seu valor igualará o PIB, ficando o país totalmente hipotecado ao estrangeiro. A dívida ao exterior tem vindo a subir continuamente, passando de 7,4% do PIB em 1996 para 90% no ano passado.”

    Ou seja, o que está mal aqui ? Quando as minhas dividas igualam tudo aquilo que produzo, isto vai mal….. Não há dinheiro para BPNs, BPPs, TGVs, Aeroportos, Auto-estradas e coisas malucas, imho…

    Só as coisas que possam trazer crescimentos rápidos deveriam ser feitas.

  5. Vou aqui meter a colher.
    Lamento mas discordo um pouco dos dois.
    O BPN de certo modo sempre foi um banco comercial com agências um pouco por todo o lado.
    Ja o BPP era um banco para a “nata” onde apenas quem dispõe de uns largo milhares poderia abrir uma conta.
    Não me parece que: esses mesmos clientes vao passar fome, nem me parece que eu tenha que lhes andar a pagar os Audi e os DB9.
    Dito isto, acho que o estado não devia por dinheiro em banco nenhum, e devia era privatizar tudo o que tem a nível de empresas, incluindo os serviço públicos. Assim seguramente que funcionavam bem melhor

  6. Sendo a nata ou a borra do café os clientes colocaram o dinheiro no banco, se o colocaram conscientemente em aplicações de risco, tem de se sujeitar ás consequências, se não, tem de receber o dinheiro mais tarde ou mais cedo.

    Agora se o Socrates se dimitir, não sendo eu PS, com está crise instalada parece-me que as coisas vão piorar, e muito…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.