Trapalhadas

Ontem saiu um excelente artigo disponível no Jornal de Negócios Online intitulado “Um governo a IRS…” . O link está aí atrás e gostaria apenas de destacar duas ou três frases que ficam.

Num dia não muito distante, um presidente demitiu um primeiro-ministro em Portugal. Razão: “trapalhadas”. O estroina Santana Lopes saiu e levou com ele a palavra. Ei-la de volta, acompanhando um apressado aumento da taxa de IRS. E não…

….

Entregámo-nos à intervenção externa de quem também está sem norte. Os mercados “estão descontrolados”, como diz o ministro alemão das Finanças. A UE está desaustinada. Quando Durão Barroso um dia disse que a Europa era um Boeing sem ninguém no cockpit, mal sabia que anos depois o Boeing continuaria sem piloto mesmo com ele a bordo.

Portugal é também um avião sem piloto, mas mais pequeno: é um Cessna, daqueles que fazem publicidade nas praias. Na faixa diz: “Sempre em festa”. Dirige-se para o aeroporto na expectativa de que lá esteja o FMI (e você, senhor contribuinte, já não sabe bem se receia encontrá-lo ou se secretamente o deseja).

Ora as acima, são para mim a mais das puras verdades. Veja-se o que se pode hoje ler acerca destas trapalhadas via Público por exemplo.

“As leis valem a partir do momento em que são publicadas, a partir do dia em que dizem que entram em vigor. Se há uma lei [publicada quinta-feira] que diz que entra em vigor amanhã, então é amanhã [hoje]”, disse em Lisboa Vital Moreira, também eurodeputado eleito pelo PS.

O primeiro ministro, José Sócrates, frisou hoje que a actualização das tabelas de retenção na fonte em sede de IRS produzirá efeitos nos salários de Junho e não já em Maio.

Interrogado sobre o momento em que produzirá efeitos a atualização das tabelas de retenção na fonte em sede de IRS, o primeiro-ministro sublinhou que seria a partir dos ordenados de “Junho, como disse [quinta-feira] o ministro das Finanças [Teixeira dos Santos]”.

“Produz efeitos nos ordenados de Junho. É esta a posição do Governo. Espero que não haja a mínima dúvida”, vincou José Sócrates.

Vital Moreira recusou comentar estas declarações, alegando desconhecê-las.

“Não conheço as declarações do primeiro ministro e não vou comentar”, disse.

Chegámos á desorientação total…. Foi esta a semana após anúncios do governo, e anúncios pela comunicação social, que causaram o caos na interpretação e busca da ultima versão a milhares de Portugueses – pelo menos aqueles que ainda se preocupam alguma coisa com a actualidade e não se resignam a aceitar e simplesmente saber das coisas quando elas já estão aplicadas.

Ontem, após a saída das novas tabelas de IRS, em que até pelos comentários da blogosfera se percebe que os Portugueses nem contas sabem fazer, o governo diz, contradiz e volta a dizer. “Bora lá pagar mais impostos”, e entretanto continua-se com TGV’s (mesmo após os espanhóis o terem suspendido), e cancela-se o concurso da terceira ponte para a seguir fazer um outro.

Da ponte só mais não falo, porque moro na Margem Sul e de facto a ponte faz falta a todos destas zonas, mas por favor…. suspendam os investimentos.

Acabem com as empresas de consultores no estado, e de uma vez por todas ponham os que não fazem nada a trabalhar. Temos pessoas tão qualificadas por aí, e se não chegarem ponham os que estão no desemprego a trabalhar, já que recebem um subsidio. Mas claro para isto tudo é preciso coragem politica, deste ou de qualquer outro governo, e ninguém se entende nestas matérias, como é o hábito. É graças a esta anarquia que isto vai assim e ficará cada vez pior.

E pronto… é fim de semana, devemos aproveitar para não nos aborrecermos e relarxarmos.

Dia 29 acho que existe uma manifestação…. vamos ver quantos lá aparecem. Certamente se criarmos um grupo no facebook para essa causa terá mais apoiantes.

As finanças, o IRS e o Twitter

Ora há coisas engraçadas !  Isto quase poderia ser uma bela fábula (o tópico do post), mas a DGCI, ou Finanças, mais conhecida pelo imposto do IRS para a maioria dos mortais têm um canal no Twitter, e pelo mesmo pode-se saber que foi assim que adiou a entrega da 2º fase do IRS.

Foi alargado o prazo para entrega da Declaração Modelo 3 (Anexos A, H e J) até dia 18/04. Mais informações em: http://bit.ly/cwFJTb

O prazo de entrega da 2ª fase, da declaração Modelo 3 de IRS, decorrerá de 19/04 a 28/05. Mais informações em: http://bit.ly/cwFJTb

É isto que se pode ler no canal da DGCI no Twitter.

O comunicado esclarece de igual forma que “Este adiamento, do dia 16 para o dia 19 Abril, em nada prejudicará os contribuintes abrangidos por esta segunda fase, uma vez que a administração fiscal assegurará, para os que entregarem as suas declarações no dia 19, que o reembolso, quando devido e desde, também, que verificados os requisitos estabelecidos para o efeito, será emitido no prazo de 20 dias contados a partir do dia 16 de Abril”.

Ora e quem diz que os serviços públicos são maus? Cinco pontos para eles e para a utilização dos novos meios de comunicação. Poderiam era ter enviado um email também !

Prazos de Entrega IRS 2009

Convêm relembrar. Este ano parece que efectuam o reembolso até  20 dias após ter sido submetida a declaração. Veremos.

O Calendário Fiscal IRS 2009 está disponível para consulta. Aqui ficam os prazos para as entregas em papel e via internet.

Papel:

1ª Fase: 1 de Fevereiro a 16 de Março, para rendimentos do trabalho dependente ou pensões

2ª Fase: 16 de Março a 30 de Abril, quando obtidos rendimentos de outra(s) natureza(s)

Internet:

1ª Fase: 10 de Março a 15 de Abril, para rendimentos do trabalho dependente ou pensões

2ª Fase: 16 de Abril a 25 de Maio, quando obtidos rendimentos de outra(s) natureza(s)

Este ano teremos menos reembolsos, como consta neste artigo do Economia e Finanças: IRS: Menos retenção mensal, menos reembolso em 2009.

Não deixe para a última hora as declarações obrigatórias, pois geralmente nos últimos dias dos prazos as aplicações tendem a tornar-se mais lentas face ao grande fluxo de dados.